Pregação no louvor

Home Acima Congregações Biblia OnLine Pedido de Oração Yohanan TV Contatos Cremos em...

 

 

 

"E um anjo do Senhor apareceu-lhes, e a glória do Senhor os cercou de resplendor; pelo que se encheram de grande temor. O anjo, porém, lhes disse: Não temais, porquanto vos trago novas de grande alegria que o será para todo o povo: É que vos nasceu hoje, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor. E isto vos será por sinal: Achareis um menino envolto em faixas, e deitado em uma manjedoura. Então, de repente, apareceu junto ao anjo grande multidão da milícia celestial, louvando a Deus e dizendo: Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens de boa vontade." Lucas 2.9-14

Você já percebeu o que realmente aconteceu naquela noite? Já se imaginou recebendo uma notícia de tão grande valor por meio dos anjos do Senhor? Já parou e meditou no que os pastores estariam sentindo ao receber aquela notícia? Seus corações, seus sentimentos, suas esperanças quanto ao Messias? Pois é! O ministério de Louvor das igrejas parece ainda não ter acordado para tão grande realidade! Há pregação no meio do louvor!!!!!

Quando louvamos a Deus com canções, expressamos aquilo que acreditamos. Da mesma forma, enquanto os anjos cantavam, eles ao mesmo tempo anunciavam a Palavra De Deus de forma tão espetacular que para mim seria um prazer estar lá naquele momento, ouvindo e aprendendo com eles o real sentido do Louvor. Se crermos que o Senhor é poderoso para nos livrar do mal ou maravilhoso a ponto de nos dar seu único filho, porque não transformar isso em canções que dêem toda glória a Deus?

"Glórias a Deus nas maiores alturas..."

Todo o sentido da vida está centrado e direcionado para dar glórias a Deus. Veja estas duas passagens:

Efésios 1.5-6: "e nos predestinou para sermos filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade, para o louvor da glória da sua graça, a qual nos deu gratuitamente no Amado;"

Ageu 1.7-8: "Assim diz o Senhor dos exércitos: Considerai os vossos caminhos. Subi ao monte, e trazei madeira, e edificai a casa; e dela me deleitarei, e serei glorificado, diz o Senhor."

Se pararmos para analisar estas duas passagens, o que acharemos em comum? É claro que o tópico acima já nos dá uma dica do que pode ser a resposta, mas veja bem, eu lhes mostrei uma passagem do Novo Testamento e uma do Velho Testamento que falam da glória de Deus e que devem ser observadas por todo grupo de louvor, sejam eles pequenos ou grandes grupos:

  1. Na passagem de Efésios, o apóstolo Paulo nos indica qual a nossa posição diante do Senhor nosso Deus: Somos Filhos. Todo filho ainda na idade de criança até a juventude depende de seus pais e logo depois tenta a independência pelo casamento. O que devemos analisar é que como cristãos, devemos depender do nosso Pai celestial até o fim de nossas vidas, quando então nos encontraremos com ele nos altos céus. Essa dependência é expressa através da fé a do amor (veremos isso mais adiante).
  2. A passagem de Ageu vem para complementar. Sabemos que somos filhos e por isso podemos glorificar ao Senhor, pois fomos salvos e redimidos, chamados das trevas para a luz, mas isso não quer dizer que, como filhos e co-herdeiros com Cristo devemos permanecer parados ou estagnados. Estes versículos nos mostram porque devemos trabalhar na casa do Senhor, ou melhor, porque é tão importante fazermos aquilo para o qual fomos chamados. E a resposta é: Para glória de Deus.

 

Devemos expressar o que vivemos

Analisando o que deveria ser uma vida de louvor, cheguei à seguinte conclusão: que canto em minha igreja, ou as músicas que componho devem ser a realidade da minha vida diária. O que flui dos meus lábios deve ser a realidade do meu coração (espírito) e não da minha alma (pois esta é enganosa).

 

Inspirado por Davi, eu compreendi que tudo o que ele vivia era fruto de uma comunhão íntima e constante na presença de Deus. Quando Saul, atordoado por um espírito maligno, recebeu a presença de Davi, creio que naquele instante, se não houvesse paz no seu coração, não poderia tocar de forma tão suave e harmoniosa, fazendo o espírito do Rei se acalmar. O que flui de nossas vidas é o que brota em nossos corações!

 

O que tem brotado no coração do Grupo de Louvor? Será discórdia, será rancor, medo ou fofoca? Ou será o amor, a paz, a alegria, em resumo os frutos do Espírito (Gálatas 5.22-23)?

 

E onde entra a unção no meio do louvor? Esta é uma conseqüência do que já citamos acima: Comunhão com Deus. Esta comunhão nos faz louvar de forma diferente, nos faz viver da forma que Deus espera que vivamos. Veja:

2 Timóteo 2.14-19: "Lembra-lhes estas coisas, conjurando-os diante de Deus que não tenham contendas de palavras, que para nada aproveitam, senão para subverter os ouvintes. Procura apresentar-te diante de Deus aprovado como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. Mas evita as conversas vãs e profanas; porque os que delas usam passarão a impiedade ainda maior, e as suas palavras alastrarão como gangrena; entre os quais estão Himeneu e Fileto, que se desviaram da verdade, dizendo que a ressurreição é já passada, e assim pervertem a fé a alguns. Todavia o firme fundamento de Deus permanece, tendo este selo: O Senhor conhece os seus, e: Aparte-se da injustiça todo aquele que profere o nome do Senhor."

 

Como um Grupo de Louvor, fomos chamados para algo muito especial: Quebrantarmos os corações e os preparar para a Palavra de Deus. Mas muito antes disso, deixe-me dizer algo que talvez choque a alguns: O Ministério de Louvor não foi feito para mudar vida de levita algum!!!!


 

O Pecado

Analisemos a natureza do pecado. Este está centrado na velha criatura e na antiga maneira de viver, onde o mundo se vangloria de desobedecer às ordenanças do Pai para que possam permanecer no erro e se alegrar em sua própria desgraça.

 

Há algum tempo atrás, enquanto participava de um congresso de louvor, fui tocado pela palavra de Deus através do pregador que disse: "Estava em pecado e Deus não me autorizou a nem sequer pegar aquele violão". Veja como Deus trata o pecado: Onde este habita, onde o "senhor pecado" reside e escraviza, o Espírito de Deus não pode agir. Fiquei pensando no que ele havia falado e compreendi em meu espírito: Onde há pecado, não há ação do Espírito. O que adiantaria se ele subisse para ministrar, mas suas palavras fossem mortas, cheias da força do pecado? O que ele estaria ensinando? Ou como entrar na presença de Deus cheio de pecado se este faz separação entre o homem e Deus (Isaías 59.2)?

Se você participa de um Grupo de Louvor, sua vida deve ser prova viva e concreta da graça de Deus. Não há como um grupo ser abençoado onde há o pecado. Lembra de Jonas? Por causa dele e de sua desobediência o barco quase foi a pique. Sabe porquê? Porque Deus só investe nos obedientes. Vejamos algumas coisas que atrapalham a ação da unção no Grupo de Louvor:

 

  1. A insubmissão e desobediência

Como prova deste pecado vemos o próprio rei Saul que foi insubmisso às ordenanças de Deus e como conseqüência disso, perdeu seu reino. Somos discípulos da obediência; Cristo foi prova máxima da obediência ao negar a si mesmo e morrer na cruz por todos nós. O levita deve ser submisso ao seu pastor em TUDO!!!

  1. O ego

Muitos caem no erro de se acharem com o direito de pensarem que são mais do que outros, quando a bíblia fala que Deus não faz acepção de pessoas (Romanos 2.11, 1 Pedro 1.17, 2 Crônicas 19.7, Atos 10.34, Deuteronômio 10.17) e nos alerta de que fazendo isto, também se comete pecado (Tiago 2.9). Trate o seu irmão como Deus cuida de você: Com amor

  1. O mundanismo

 

Hoje em dia é comum vermos o mundo entrando no meio do louvor da Igreja e isso quem traz é o próprio integrante do Grupo de Louvor, maculando a Igreja do Senhor. A palavra nos diz para sermos santos e nessa santidade devemos permanecer, negando o que o mundo nos oferece (Levíticos 20.7).

 


 

O que pessoas de tal índole tem para passar ao povo de Deus? Pecado e toda sorte de maldição são a resposta! Por isso afirmo que O Ministério de Louvor não foi feito para mudar vida de levita algum. Os levitas devem subir ao palco transformado pela Palavra de Deus e santificado nela para que possam abençoar e serem canal da unção de Deus para toda a igreja.

 

Adoração: Fruto da fé e do amor

Depois de entendermos que a vida do levita deve ser consagrada a Deus, dois sentimentos devem ser reais em seu coração para que você possa viver uma vida de adoração expressa em espírito em verdade: O amor e a fé.

 

Lendo um artigo escrito pelo Pastor Asaph Borba, duas frases me marcaram muito: "Adoração é um amor constante a Deus" e "Adoramos porque cremos".

Você já parou para pensar como seria a nossa vida sem amor a Deus? Quão infelizes seríamos!!! Sem fé é impossível nos dedicarmos àquele que nos amou primeiro. Sem fé é impossível vencermos as dificuldades. Sem fé é impossível ministrarmos o louvor seja onde estivermos. Sem fé é impossível agradar a Deus. Por isso a fé e o amor são tão importantes. Estes geram a fidelidade, a perseverança, a paciência, a alegria que precisamos para contagiar a nossa geração. E o diabo sabe disso!

Salmos 11.3: "Quando os fundamentos são destruídos, que pode fazer o justo?" O que você tem para dar às outras pessoas se estes dois fundamentos em sua vida já foram destruídos? Que tipo de exemplo é a sua vida? Que tipo de espelho é você? Se os teus fundamentos forem tirados, qual será a força da tua pregação?

 

Quero, para terminar, que isso fique guardado no seu coração: O dia que pararmos de pensar que o momento de louvor (aquela meia hora antes da pregação) é apenas um momento de lindas canções, mas um momento de pregação, libertação e quebrantamento, não apenas você mais toda a igreja sentirá a diferença.

Que Deus te abençoe rica e abundantemente.

Rafael Frohe